Síndrome de Sjögren

Que tratamentos são utilizados?

Embora não exista cura para o Síndrome de Sjögren, vários tratamentos estão disponíveis de acordo com os sintomas e órgãos afectados.

•   Olhos. A grande maioria dos doentes com queixas de olho seco tem benefício em aplicar lágrimas artificiais várias vezes ao dia. Existem várias formulações disponíveis com diferentes composições e que podem ser alternadas até se encontrar a que melhor se adapta a cada doente. Caso haja necessidade de aplicar por mais de 6 vezes ao dia, deve ser preferida uma formulação sem conservantes para evitar a hipersensibilidade. Em alguns casos pode ser necessário utilizar gel durante a noite ou recorrer a outros tratamentos como a ciclosporina tópica (imunossupressor para controlar a inflamação das glândulas lacrimais) ou a oclusão do canal lacrimal (para reduzir a drenagem das lágrimas e diminuir a secura ocular). Quando há dor ou sinais inflamatórios do olho, o doente deve ser sempre observado por um Oftalmologista para excluir a presença de lesões oculares ou infecções, que requerem outros tratamentos.

•  Boca. É muito importante a ingestão frequente de água para melhorar os sintomas de boca seca. Outras medidas que podem ser úteis incluem utilizar pastilhas ou rebuçados sem açúcar ou aplicar substitutos salivares que têm um efeito transitório na melhoria das queixas. Existe disponível em Portugal apenas um medicamento destinado à estimulação da produção de saliva, denominado pilocarpina (Salagen®), que em alguns casos pode estar indicado.. A pilocarpina tem porém alguns efeitos adversos que podem ser mais ou menos bem tolerados pelos doentes, devendo sempre iniciar-se numa dosagem mínima (5mg), que pode ser aumentada consoante a necessidade e a tolerância. As aftas podem ser tratadas com corticosteróides tópicos em conjunto com colutórios apropriados. Por fim, é essencial ter muito cuidado na prevenção e tratamento de cáries dentárias e infecções orais, uma vez que a falta de saliva predispõe ao aparecimento de ambas e à perda de peças dentárias. Podem ser utilizados elixires anti-sépticos de limpeza oral, de preferência sem álcool e ricos em flúor para obter o máximo de benefício. A consulta regular do médico Estomatologista ou Dentista é por isso muito importante.

•  Aparelho músculo-esquelético. Tal como outras doenças reumáticas, o Síndrome de Sjögren pode originar dores e/ou inflamação das articulações e estruturas periarticulares. O tratamento depende da gravidade e localização das queixas, dividindo-se entre anti-inflamatórios não-esteróides (p.e. naproxeno, diclofenac, entre outros) orais/tópicos ,corticosteróides (p.e. prednisolona) orais ou locais (intra ou periarticulares) e ainda imunomoduladores Como a hidroxicloroquina (Plaquinol®), um anti-palúdico de síntese que é o fármaco mais utilizado nas queixas articulares (artralgias e artrite).

•  Fadiga e outras manifestações. A fadiga pode ser um dos sintomas mais incapacitantes associados ao Síndrome de Sjögren e, infelizmente, existem poucas opções terapêuticas eficazes. A hidroxicloroquina é uma delas, com benefício em alguns doentes. Devem ser excluídas outras causas de cansaço, nomeadamente alterações pulmonares, cardíacas ou da tiróide. O tratamento de outras manifestações depende dos órgãos e sistemas afectados. O envolvimento pulmonar, renal ou neurológico (sistema nervoso central ou nervos periféricos), apesar de raro, pode requerer a administração de terapêuticas imunossupressoras (corticosteróides, azatioprina, ciclofosfamida, entre outras) em doses mais elevadas e durante períodos prolongados.

Seguinte >