Lupus Eritematoso Sistémico

Situações especiais?

Uma gravidez com sucesso é possível na maioria dos casos, desde que planeada e com vigilância apropriada. O melhor momento para engravidar é quando a doença está inativa e quando não existe envolvimento grave de órgãos.

Muitas vezes os pacientes com lupus podem ter anemia, osteoporose, colesterol elevado e distúrbios do metabolismo dos açúcares pelo que é recomendado o controlo do peso, a prática de exercício regular, orientada e adequada à fase da doença e uma alimentação equilibrada. Até o momento não há evidência científica de que vitaminas ou dietas específicas modifiquem a evolução da doença.

Estudos recentes têm mostrado que os fumadores têm maior atividade da doença e maior risco de infeções, pelo que se recomenda a desabituação tabágica.

A prevenção de infeções deve ser alvo de especial atenção nos doentes com LES, nomeadamente efectuar as vacinas aconselhadas pelo seu reumatologista.

Por conseguinte, é muito importante entender que o paciente com LES tem uma doença crónica, mas tratável e controlável, na grande maioria dos casos. O doente deve aprender a conviver com o LES, e nos últimos anos, os avanços no diagnóstico e terapia têm permitido uma melhoria significativa da sobrevida e da qualidade de vida destes doentes. 

Seguinte >